NA LUZ DA VERDADE

42. Milagres

A explicação para isso reside na própria palavra. Milagre é um acontecimento sobre o qual o ser humano fica admirado. É algo que ele não julga possível. Mas também apenas julga, pois, que é possível, a própria efectivação do milagre já comprovou.

Milagres, segundo as concepções de muitas pessoas que crêem em Deus, não existem! Estas consideram um milagre como algo que acontece fora das leis da natureza, até mesmo como algo que é contrário a todas as leis da natureza. Exactamente nisso vêem o divinal! Para elas um milagre é algo possível apenas ao seu Deus, que com isso mostra Sua graça especial, e emprega Sua omnipotência para tal.

As pobres criaturas humanas imaginam sob omnipotência erroneamente a possibilidade de actos arbitrários, e os milagres como tais actos arbitrários. Não reflectem o quanto, com isso, diminuem a Deus; pois essa espécie de milagres seria tudo menos divina.

No actuar divino reside em primeira linha uma perfeição incondicional, sem falhas, sem lacuna. E perfeição condiciona a mais severa lógica, absoluta consequência em todos os sentidos. Um milagre, por conseguinte, tem de se efectivar somente em consequência lógica, sem lacunas, no acontecimento. A diferença consiste apenas no facto de que num milagre o caminho de desenvolvimento, que segundo conceitos terrenos levaria mais tempo, desenrola-se de facto de maneira normal, porém, com tamanha rapidez, quer mediante a força especialmente concedida a uma pessoa, quer por outros caminhos, de modo a poder ser denominado de milagroso pelos seres humanos, devido a todo o desenrolar extraordinariamente rápido, em suma, como milagre.

Pode, igualmente, tratar-se de algo acima do desenvolvimento actual, que é cumprido devido à força concentrada. Mas nunca, em tempo algum, colocar-se-á fora das leis naturais existentes, ou até em oposição às mesmas. Em tal momento, que em si é de qualquer forma impossível, tal acontecimento perderia todo o divino e se tornaria um acto de arbitrariedade. Portanto, exactamente o contrário daquilo que supõem muitos dos que crêem em Deus. Tudo, que carece de uma severa consequência lógica, não é divino. Cada milagre é um processo absolutamente natural, apenas numa extraordinária rapidez e força concentrada; jamais poderá suceder algo antinatural. Isso fica totalmente excluído.

Quando se realizam curas de doenças até então consideradas incuráveis, não há nisso nenhuma alteração das leis da natureza, mas isso mostra apenas as grandes lacunas no saber humano. Tanto mais isso deve ser reconhecido como uma graça do Criador, que, aqui e acolá, dota alguns seres humanos com força especial, que estes podem utilizar em benefício da humanidade sofredora. Serão sempre, contudo, apenas aqueles que se conservam afastados de toda a presunção de uma ciência, visto que o conhecimento preso à Terra abafa, de forma totalmente natural, a possibilidade de receber dádivas mais elevadas.

A ciência presa à Terra quer conquistar, nunca, porém, consegue receber de modo puro, isto é, infantilmente. No entanto, forças vindas daquilo que é sem espaço e tempo só podem ser recebidas de modo simples, nunca conquistadas! Essa circunstância, por si só, mostra o que é o mais valioso, o mais forte e, por conseguinte, também o mais acertado!

 

<   ^   >

Atualização mais recente desta página: 23 de Junho de 2017